Inicio de tumulto no Hospital Deoclécio Marques quando acompanhes são informados que não terão direito a alimentação.

O Hospital Regional Deoclécio Marques de Lucena foi inaugurado em 9 de agosto de 2004, na cidade de Parnamirim, que até aquela data pos...

O Hospital Regional Deoclécio Marques de Lucena foi inaugurado em 9 de agosto de 2004, na cidade de Parnamirim, que até aquela data possuía uma população estimada em 173 mil habitantes.

A missão principal do hospital era realizar atendimento de urgência e emergência pelo SUS, nas áreas de clínica médica, clínica cirúrgica e clínica pediátrica. Existia em media 400 servidores trabalhando em regime de plantão contínuo, que atendiam de forma ininterrupta 24 horas. Tratave-se de um hospital geral, que disponibilizava à população os seguintes serviços: Anestesiologia; Cirurgia Buco-Maxilo-Facial; Clínica Cirúrgica; Clínica Médica; Enfermagem; Clínica Pediátrica; Psicologia e Serviço Social.

Aos pacientes internados eram oferecidos os serviços de Neurologia; Cardiologia; Ginecologia; Gastroenterologia; Banco de sangue; Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH); Comissão de Controle de Vigilância Epidemiológica; Farmácia hospitalar e Nutrição e Dietética. Contava-se também com apoio dos seguintes setores: Setor de pessoal; Setor Financeiro; Setor de Faturamento; SAME; Almoxarifado; Central de Equipamentos; Lavanderia (terceirizada); Serviço de Limpeza (terceirizado); Necrotério; Gerador de energia próprio; Serviço de Manutenção e 01 ambulância para remoção de pacientes.

Isso tudo foi realidade por um período muito pequeno, hospitais como o Deoclécio Marques, Walfredo Gurgel e tantos outros são semanalmente apresentados na imprensa com complicações e descasos que atingem diretamente a população. Internados são humilhados e desrespeitados, falta de profissionalismo por parte de profissionais são alguns dos fatores mais conhecidos e preocupantes por parte dos pacientes.

Nesta terça-feira 02 de agosto 2016 a direção do hospital Deoclécio informou ao acompanhes dos pacientes que os mesmos não terão mais direito fazer a alimentação que é oferecida pelo hospital, com asserção aos pacientes que tiver mais de 60 anos ou menos de 18 anos de idade. 


Um inicio de tumulto foi iniciado por partes dos acompanhantes dentro do hospital, pois a grande maioria dos internados são pessoas dos interiores do estado ou que não residem em Parnamirim e isso dificulta ainda mais a situação lamentável e precária que passa os pacientes e acompanhes dentro do hospital. Após tumulto o direito de fazer alimentação foi liberado por hoje. Certamente a direção vai estar fazendo uma nova avaliação do posicionamento tomado.

VEJA TAMBÉM

Saúde 2252070088384620912

Postar um comentário

+ Vistas

Twitter

item